fbpx

Confira abaixo a importância da educação financeira.

Você sabe o que é educação financeira?

A educação financeira tem por objetivo auxiliar as pessoas administrarem os seus rendimentos, auxiliar nas decisões de poupança e investimento, auxiliar no consumo consciente e auxiliar na prevenção de situações de fraude.

E por que é importante ensinar educação financeira nas escolas?

O principal objetivo da educação financeira infantil é estimular o conhecimento para que as crianças aprendam a fazer sábias escolhas no que se refere ao dinheiro.

Com as aulas de educação financeira, as crianças são preparadas desde cedo para desenvolverem hábitos de poupar, além disso, as aulas oferecem conhecimentos para que, quando crescerem, tomem decisões mais conscientes na hora de comprar, e também saibam usar o dinheiro para fazer aplicações.

Você sabia que o ensino dessa competência agora é obrigatório?

Isso mesmo, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o ensino de educação financeira nas escola públicas e particulares é obrigatório para os alunos da educação infantil e fundamental.

De acordo com o Governo, é essencial que desde cedo o cidadãos aprendam a gerir seus ganhos e despesas. Aém disso, existe a possibilidade de influenciar no comportamento dos pais, já que as crianças são um veículo de comunicação muito importante entre a escola e os pais, pois normalmente os assuntos que são abordados em sala de aula são levados para casa.

Como isso deve ser aplicado em sala de aula?

De acordo com a BNCC, no ensino infantil, serão aplicadas cinco campos de experiências, com isso, os alunos precisam sair sabendo:

– Identificar, nomear adequadamente e comparar as propriedades dos objetos, estabelecendo relações entre eles;

– Utilizar vocabulário relativo às noções de grandeza, espaço e medidas como meio de comunicação de suas experiências;

– Utilizar unidades de medida e noções de tempo, para responder a necessidades e questões do cotidiano;

– Identificar e registrar quantidades por meio de diferentes formas de representação.

Já no ensino fundamental, para aplicar essa aprendizagem, é sugerido que discutam assuntos como taxa de juros, inflação, aplicações financeiras e impostos. No entanto, a educação financeira não deve se restringir ao ensino cru da matemática. É necessário que haja um ensino interdisciplinar, ou seja, que “navegue” entre as áreas do conhecimento.

Conta pra gente aqui nos comentários se você já sabia de todas essas informações.