fbpx

Com certeza nesses últimos dias você ouviu falar sobre o surto da gripe que vem acontecendo e já atingiu pelo menos 5 estados brasileiros. Surgido em Hong Kong na década de 1960, o vírus influenza A (H3N2) sofreu uma nova mutação na Austrália este ano. Para entender um pouco mais sobre esse surto e sobre o assunto, acompanhe a leitura a seguir:

O que é o vírus H3N2?

O H3N2 é um dos subtipos do vírus Influenza A. Ele circula entre humanos desde uma pandemia em Hong Kong em 1968, porém somente a partir de 2005 ele começou a circular pelo mundo com mais frequência.

No entanto, embora tenha surgido em um país chinês, essa nova mutação foi identificada há aproximadamente seis meses na Austrália. A cepa levou o nome de Darwin, fazendo referência à cidade em que ela foi sequenciada.

Grupos mais atingidos

Conforme análises feitas pelo infectologista pediátrico do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Marcio Nehab, o grupo mais propenso a infecções mais graves são crianças menores de cinco anos, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, portadores de doenças crônicas não transmissíveis entre outras condições clínicas especiais.

A vacina da gripe protege contra o vírus H3N2?

Como os vírus influenza passam por diversas mutações, as vacinas precisam sofrer mudanças todos os anos para que a eficácia seja garantida. A vacina contra a gripe usada no Brasil já possui em sua composição a H3N2, mas não se trata da variante Darwin.

No entanto, desde que a variante foi descoberta, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda uma nova formulação para as vacinas contra a gripe que serão aplicadas em 2022.

Mas, mesmo assim, a vacina que está à disposição contribui para reduzir os efeitos das variantes, reduzindo, dessa forma, a hospitalização.

Quais os principais sintomas?

Os sintomas apresentados por essa variante são os mesmos de uma gripe comum:

– febre alta

– falta de ar e dificuldade para respirar

– nariz congestionado

– tosse

– dor de cabeça

– dor no corpo

– calafrios…

Tratamento

Para tratar o paciente que foi infectado, recomenda-se o mesmo tratamento para a gripe comum, ou seja, remédios que contenham o sintomas para que o corpo se recupere mais rápido. A indicação mais adequada, é procurar um médico para que seja feita uma avaliação clínica e seja receitado o tratamento mais adequado, já que em casos mais graves é necessário, muitas vezes, que seja feito a internação. Além disso, é muito importante a ingestão de líquidos para evitar a desidratação, descansar e evitar contato com outras pessoas por conta da transmissão.

Como se prevenir?

A transmissão do vírus ocorre por meio de gotículas no ar expelidas quando a pessoa gripada tosse, fala ou espirra, e através do contato direto com o infectado.

Dito isso, a recomendação é evitar a permanência em ambientes fechados com muitas pessoas, não levar as mãos aos olhos e à boca antes de uma boa higienização, além de manter distância de uma pessoa gripada.

Eaí? Conseguiu entender um pouco mais sobre essa variante? Conte aqui no comentários.