A depressão do adolescente é caracterizada por tristeza persistente e perda de interesse em atividades cotidianas, incluindo atividades prazerosas. Afeta diretamente as habilidades socioemocionais – a maneira como os adolescentes se comportam, pensam, socializam e encaram a vida – e pode levar a graves deficiências emocionais, funcionais e físicas.

Porém, por falta de conhecimento, muitas vezes é uma doença silenciosa, muitas vezes ignorada ou desprezada pelos familiares. Além disso, os sintomas depressivos podem diferir entre adolescentes e adultos.

O problema é tão grave que a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que os casos de depressão na adolescência, que já é a terceira causa de morte entre jovens de 15 a 19 anos, estão aumentando em alguns países.

1- Alterações no sono

O distúrbio do sono é um sintoma chave nos critérios diagnósticos para depressão, afetando a maioria dos adolescentes diagnosticados. Incluem insônia, definida clinicamente como dificuldade em iniciar e/ou manter o sono, e narcolepsia, definida como sonolência diurna excessiva e/ou sono prolongado.

2-  Compulsão alimentar

Alguns adolescentes descontam seus medos e frustrações na comida, alterando seus apetites e comendo demais. Uma das consequências é o ganho de peso contínuo e até a obesidade. No entanto, você precisa estar atento à perda de apetite, pois a depressão pode suprimir significativamente a fome em alguns casos.

3- Queda no desempenho acadêmico

Se o seu filho de repente começar a ficar desatento e as notas começarem a cair sem explicação, isso pode ser outro sinal de alerta de depressão. A desatenção pode estar relacionada a muitos pensamentos inúteis e falta de motivação para se destacar em tarefas e compromissos.

4- Passar horas no ambiente online

Não ter vontade de realizar atividades reais, como festas e encontros familiares, pode fazer com que os jovens percam o interesse pelo mundo. Isso pode levá-los a se desconectar do mundo real e perder o interesse em atividades adicionais. Este é um dos riscos dos mundos virtuais; eles poderiam proporcionar aos jovens sua única fonte de prazer.

Quando a vida online e offline começam a se sobrepor, é importante tomar nota. Isso ocorre porque algo está errado quando o mundo virtual começa a se sobrepor ao real. Um adolescente escondido atrás de uma tela é um exemplo de pessoa que não viveu uma grande experiência de vida.

Mas existe tratamento?

Felizmente, a depressão em jovens responde bem a vários programas de tratamento. Pais, professores e outras pessoas devem aprender a reconhecer a depressão e agir no momento em que a ajuda se faz necessária. O primeiro passo é procurar a experiência de um profissional capacitado, como um psiquiatra.

Juntamente com o adolescente, os familiares e o médico podem chegar a uma decisão sobre o tratamento mais adequado para o jovem. Apenas um médico pode indicar o início do tratamento com medicamentos, como os antidepressivos. Nunca se automedique.